Dez Soluções para Desenvolver Sua Equipe

cOMO SUA EQUIPE ESTÁ FUNCIONANDO ATUALMENTE?

Ou não está funcionando? Bate aquele desespero na alma, né? Mas, se você continuar fazendo as mesmas coisas, nada vai mudar. Vamos analisar a questão?
Em minha experiência, percebo que as pessoas têm necessidades que são evidentes. Por exemplo: Segurança, salário compatível e integridade física. As pessoas de sua equipe também precisam saber quais são seus deveres e o nível esperado de desempenho. Elas precisam de treinamento e orientação. Precisam de receber feedback e serem reconhecidas, correspondidas e disciplinadas. Precisam ter oportunidades para progredir.
Continuar lendo

MUDANÇA DE VISÃO

QUALIDADE ACIMA DE TUDO

Uma pesquisa realizada pela PwC nas principais empresas brasileiras do setor de saúde, mostra que as primeiras ações para garantir um crescimento sustentável são respectivamente:
1º) Garantir a segurança do paciente;
2º) Adoção de processos e programas de qualidade;
3º) Humanização no Atendimento.
Em relação à Gestão de Pessoas, 64,2% das Instituições de Saúde, informaram ter taxa de rotatividade de pessoal de 5% ao ano. Um sinal de uma boa gestão de pessoas nas Instituições.
Mais ainda, 97,5% destas Instituições possuem Programa de Treinamento e 87,6% possuem Programa de desenvolvimento de suas lideranças.
 
 
277_pense_qualidade_acima_de_tudo

Treinamentos para sua empresa…

Somos especialistas na área de saúde.

(21) 97630-3226

oliveiraconsult@gmail.com

Descobrindo a origem do Problema

“Um urologista, após 15 anos de carreira e um consultório bem localizado, começa a perceber que suas contas no final do mês não fecham com saldo positivo, situação que ele vivenciara apenas nos primeiros anos de profissão. Não conseguiu entender exatamente onde estava o problema: o fluxo de pacientes permanecia estável e não havia qualquer indício de má qualidade no atendimento ou dos serviços.
Continuar lendo

Empreendedora especialista em saúde, Daniela de Oliveira agora almeja voos internacionais

Para Daniela de Oliveira, ter o próprio negócio nunca foi algo planejado. Pelo contrário. A carioca com 38 anos começou cedo, ainda aos 20, devido às condições de mercado. Depois de estagiar em três empresas, entre elas a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro e a Petrobrás, a então jovem de 17 anos conquistou uma vaga em uma grande empresa gestora de saúde e, em poucos meses, saltou do posto de estágio para a gerência. “Sempre tive visão de dona do negócio”, comenta.
Continuar lendo